Dom Carlos fala sobre o Dia de São José, o Aniversário de Dedicação da Catedral de Itabuna e sobre os impactos causados pelo coronavírus

Na “Palavra do Pastor” desta semana, o Bispo da Diocese de Itabuna, dom Carlos Alberto dos Santos, falou do Aniversário de Dedicação da “igreja- mãe” de Itabuna, a Catedral de São José, e sobre o próprio São José, que é padroeiro da cidade, da diocese e da Catedral de Itabuna.

O dia de São José é bastante comemorado na Diocese de Itabuna por todo o seu significado. Desde o dia 10 de março que as festividades acontecem em homenagem ao padroeiro. Mas neste ano, a comemoração do dia 19, que é o dia de São José, vai ser um pouco diferente. A tradicional procissão não vai acontecer.

O Bispo, por meio de uma nota, informou que a procissão estava suspensa por conta da atual situação em que a região, o país e o mundo se encontram, por conta da expansão do novo coronavírus, a doença conhecida como Covid-19. Por medida preventiva, é recomendado que as pessoas evitem aglomerações para não correr o risco de ser infectado com o vírus. E Dom Carlos, neste artigo, fala sobre isso também. Confira a mensagem do Bispo:

Na “Palavra do Pastor” desta semana, o Bispo da Diocese de Itabuna, dom Carlos Alberto dos Santos, fala sobre os impactos, as mudanças causadas pela doença Covid-19, neste dia19 de março, dedicado a São José, padroeiro da cidade, da diocese e da Catedral de Itabuna.

O dia de São José é bastante comemorado na Diocese de Itabuna por todo o seu significado. Desde o dia 10 de março que as festividades acontecem em homenagem ao padroeiro. Mas neste ano, a comemoração do dia 19, que é o dia de São José, vai ser um pouco diferente. Pela primeira vez na história, a tradicional procissão não vai acontecer. O Bispo, por meio de uma nota, informou que a procissão estava suspensa por conta da atual situação em que a região, o país e o mundo se encontram, por conta da expansão do novo coronavírus, a doença conhecida como Covid-19. Por medida preventiva, é recomendado que as pessoas evitem aglomerações para não correr o risco de ser infectado com o vírus. Para compensar a ausência da procissão, o número de missas aumentou. As missas estão sendo mais rápidas e transmitidas via internet para quem quiser assistir de casa. Dom Carlos, neste artigo, fala sobre tudo isso.

Confira a mensagem do Bispo:

Nós estamos na Festa de São José, padroeiro da nossa diocese, da nossa Catedral, e diante da situação em que nós estamos vivendo, achamos por bem, diminuirmos o número de pessoas nas celebrações da missa, visto que, diante desta pandemia, já que tivemos que suspender a procissão, colocamos mais missas e diminuímos a quantidade de pessoas em cada missa. Assim sendo, pedi também que os idosos não viessem para as missas e que participassem pela televisão ou mesmo pelos meios de comunicação que transmitem as missas. As pessoas estão atendendo muito bem a esse pedido e nós estamos gratos. Isto é apenas um tempo, uma fase. É para o bem maior do nosso povo, da nossa gente e para o bem maior da nossa saúde.

Nós queremos vida, saúde e pessoas com alegria e não com tristeza. De tal forma que eu gostaria de dizer para o nosso querido povo: não tem problema não vir às missas, pode ficar tranquilo. Eu assumo a responsabilidade em dizer para você ficar em casa. Faça as suas orações em casa e participe também pelos meios de comunicação. Acompanhe as missas pela televisão, pelo rádio, pela internet, porque assim, você vai ter o mesmo recebimento de graças. Vamos rezar para que a saúde em todo mundo, de modo particular, em nossa região, não venha afetar tanto o quanto está afetando em outros ambientes. Por isso nós estamos fazendo essa precaução para que o nosso povo atenda, veja que a coisa é séria e nós queremos, realmente, que eles se sintam felizes, realizados e não com doença, não com tristeza, mas com amor, muita alegria, muita fé, confiando nesse nosso padroeiro São José, para que ele interceda a Deus por todos nós, por nossas famílias, a fim de que essa pandemia não venha acontecer como em outros países.

Deixe uma resposta